CIO.com: 5 Keys to Enterprise Social Networking Success

Redes SociaisRecomendo a leitura do artigo disponível no link abaixo, publicado na CIO.com para quem quer entender um pouco a respeito da adoção do conceito de Computação Social para empresas.
É óbvio que existem diferenças de aplicação no mercado americano e no mercado brasileiro, porém, o importante é compreender o conceito e entender o caminho a traçar. Também não se preocupe com este ou aquele fornecedor de solução mencionado na matéria. Novamente: Foco no conceito e nos modelos.
Boa leitura: 5 Keys to Enterprise Social Networking Success.

Um abraço!
Antonio Ricardo

Colaboração: O ponto forte das Redes Sociais

“O que mata um jardim não é o abandono. O que mata um jardim é esse olhar de quem por ele passa indiferente.”
Mário Quintana

Grande parte das pessoas que participam das redes sociais – principalmente nos primeiros contatos com alguma destas redes – sentem-se num mundo cheio de novas possibilidades, pois, podem reencontrar velhos amigos, manter contato com as pessoas de seu bairro ou ainda conhecer gente que tenha interesses em comum como colecionadores, esportistas, entre outras possibilidades, porém, depois de algum tempo, muitos tem a sensação – que é real – de estarem no meio de um grande vazio (de conteúdo, ideias etc), pois, apesar se estarem em contato ou fazerem parte de um grupo com interesses em comum, falta um grande fator, que é a questão da colaboração.

É muito comum visitarmos tais grupos, onde muitas pessoas estão “participando”, mas efetivamente não há nenhum conteúdo sendo divulgado ou discutido. “Ora pois”, se as pessoas possuem interesses comuns, porque não há interesse em trocar informações sobre tal assunto? Talvez apenas pelo “instinto gregário”? Pela sensação de inclusão social? Talvez…

Creio eu que, se você realmente quer obter algum tipo de benefício participando das redes sociais, seja colaborativo, expresse sua opinião, saiba respeitar as diversas opiniões, sendo um bom ouvinte (ou leitor), e mais ainda, contribua com suas ideias, pontos de vista, sem medo. Que tal trocar os cliques nos botões de “positivo” por palavras? Você concorda com algo? Então expresse suas opiniões.

Comece a pensar como um Colaborador e deixe a era de Espectador (ou telespectador) para trás. Se você utilizar um tipo de mídia como as sociais e seu comportamento não estiver de acordo, estará perdendo seu tempo… Nesta era, estamos tomando um novo rumo, onde só escutar (ou ler) não é mais a realidade. Você é capaz de opinar neste artigo… Basta escrever aí no espaço designado para tal. Então vá em frente, faça sua opinião ser percebida pelos demais, participe!!!

Um grande abraço!
Antonio Ricardo Gonçalves

Dois caminhos para redes sociais corporativas em 2010

            Muito temos falado – e ouvido – nos últimos meses na expansão das redes sociais corporativas em 2010. Aproveitando a onda, vamos entender um pouquinho a respeito da principal bifurcação que podemos encontrar quando trabalhamos com as redes sociais corporativas.

            O primeiro caminho que podemos tomar é a utilização das redes sociais corporativas internamente, ou seja, como ferramenta de auxílio a integração interna entre colaboradores e departamentos, em objetivos de disseminação de cultura da empresa através de um departamento como o RH, parceiros de negócios entre outros infinitos objetivos. Lembre-se que – como já comentado em postagens anteriores – a rede social de sua empresa deverá ser moldada de acordo com as características (perfil, cultura etc.) de cada empresa ou departamentos envolvidos.

            Outra maneira é ter uma rede social personalizada na Internet com o objetivo de divulgar seus produtos ou serviços, sua marca entre outras informações que você acredite agregar valor a empresa. Neste tipo de rede é possível manter um contato mais próximo com consumidores (ou potenciais consumidores) e desenvolver de maneira mais eficiente e eficaz seus produtos e serviços, através de opiniões externas e troca de experiências com os participantes de sua rede. Neste caso, principalmente, esteja preparado e aberto para escutar as críticas e planeje muito bem um canal para atender aos clientes não satisfeitos, pois, em minha opinião, pior do que não ouvir os clientes é criar um canal de comunicação (neste caso uma rede social) e não saber como tratar as críticas, transparecendo a imagem de descaso e/ou incompetência.

            Sendo assim, se você não sabe por onde começar procure entender os caminhos e criar oportunidades em cada um deles. Com certeza esses caminhos irão se encontrar futuramente – talvez ainda na fase de planejamento -, porém, você já terá criado estratégias para atender suas necessidades internas e externas e conseguirá tratar as convergências em suas redes sociais de forma objetiva.

Um abraço,
Antonio Ricardo Gonçalves

O exercício de compartilhar coisas simples (mas úteis)

     Nem só de redes sociais complexas e compartilhamentos de idéias mirabolantes vive a WEB 2.0 (Hoje vou deixar de lado os comentários pessoais sobre algumas redes sociais inúteis… Aquelas dedicadas apenas a consumir nosso precioso tempo, ok?!). Existem serviços relativamente simples em seus conceitos e com muita objetividade no produto final, que atuam de forma bastante segmentada e vem apresentando resultados interessantes.

     Um exemplo do que estou me referindo no parágrafo acima é o site delicious.com, onde é possível organizar bookmarks e compartilhar de acordo com critérios definidos pelo usuário deste serviço. Nele é possível, por exemplo, criar uma lista com ferramentas para estudantes ou professores ou uma seleção de músicas. O que pode até parecer bobagem inicialmente, serve de consulta – de maneira organizada e intuitiva – para muita gente que tem algum tipo de dificuldade de encontrar informações pela WEB (Mesmo tendo o Google como aliado).

     Minha sugestão é a navegação pelo site para entender como o serviço funciona e perceber que a INOVAÇÃO também está em soluções simples e, da mesma maneira que ocorrem diariamente na Internet, podem e DEVEM ocorrer dentro das empresas (isto inclui a que você trabalha!!!).

     Você já pensou em sair daquela versão de intranet bem antiga, em que toda vez que há alteração é praticamente um evento social (as pessoas fazem reuniões, trocam e-mails, conversam ao lado da máquina de café) e no final as alterações são mínimas e frustrantes, e iniciar algo que realmente possa agregar valor ao seu negócio? Então… Inspire-se com o caso de sucesso do del.icio.us e vá em frente!!! Analise suas necessidades e comece a adotar soluções como Blogs, Wikis e vá evoluindo de acordo que as pessoas absorvam os conceitos e conhecimentos sobre Redes Sociais e Compartilhamento.

 Hoje deixo o pensamento de Heráclito de Éfeso (Éfeso, aprox. 540 a.C. – 470 a.C.) para reflexão:

“Tudo flui e nada permanece”

 

Boa Sorte e
Feliz 2010!
Antonio Ricardo Gonçalves

Rede Social para as mamães

            Hoje o post é dedicado especialmente às mães (inclusive a minha e as mamães dos árbitros de futebol), onde apresento uma pitada do site cafemom, que é uma rede social dedicada aos temas de interesse das mães.

            Com base em Nova Iorque, o site nasceu em dezembro de 2006 com o objetivo de conectar as mamães internautas e fornecer vários recursos como perfis, grupos, fotos, pesquisas e alguns outros recursos típicos de redes sociais. Atualmente conta com uma equipe de aproximadamente 65 colaboradores e uma rede social imensa que possui mais de um milhão de mães conectadas. A empresa responsável pela idéia foi a CMI Marketing.

            Sugiro a navegação pelo site e também alguns momentos de reflexão a respeito da idéia geral dos criadores do cafemom e principalmente para a inovação através das redes sociais e web 2.0. Este é um ótimo exemplo do potencial das redes sociais e – em minha opinião – serve de inspiração para que as empresas brasileiras percebam que, redes sociais são ferramentas poderosas e contribuem de várias formas no crescimento, proporcionando maior visibilidade da marca ou mesmo servindo de canal para geração de novas idéias que possam se transformar em produtos ou serviços.

Referência:
cafemom – www.cafemom.com

Um feliz Natal a todos,
Antonio Ricardo Gonçalves

Colaboração: Um recurso para grandes ou pequenos

     Um dos fatores que contribuem – negativamente – para que o conceito de Colaboração não avance nas empresas de pequeno e médio porte é que muitas destas empresas acreditam não ter acesso a este tipo de tecnologia por conta de altos custos ou necessidade de uma infraestrutura muito elaborada.

     Felizmente este é apenas mais um mito, pois, é possível que qualquer empresa tenha uma solução de colaboração ao seu alcance, muitas vezes, gratuitamente. Basta ter acesso a internet e tudo está resolvido, pois, existem inúmeras empresas oferecendo serviços voltados à colaboração com inúmeros recursos para melhorar a produtivade de sua empresa,com baixo custo e em alguns casos com custo ZERO.

      Como exemplo, vou citar um site chamado AgreeADate (http://www.agreeadate.com), onde é possível através de uma interface muito simples e em alguns minutos, criar e controlar uma reunião presencial ou uma teleconferência, entre outros eventos. Através do site é possível enviar convites, controlar as confirmações, enviar questões referentes ao evento, divulgar pesquisas relacionadas à pauta, entre outras opções. Trata-se de uma ferramenta muito elaborada e simples de usar e que irá transforma qualquer evento num encontro muito bem organizado desde o seu início.

      Então… Mãos à obra! Comece a sua jornada nas ferramentas de colaboração. Tenho certeza que seu trabalho tornar-se-á muito mais produtivo e organizado e, para auxiliar a busca pelas ferramentas, acesse o link a seguir, pois, lá você irá encontrar várias categorias de softwares de colaboração. http://www.mindmeister.com/12213323

Grande abraço e
Um ótimo 2010 à todos!
Antonio Ricardo Gonçalves

Redes sociais corporativas e geração de idéias com alta qualidade

Existem vários estudos realizados nos Estados Unidos nos últimos anos com foco na relação redes socias corporativas X geração de idéias. De acordo com um destes estudos realizados pelo professor Ronald Burt, da Universidade de Chicago, foi concluído que através do trabalho em colaboração em redes sociais os resultados foram muito interessantes em ralação principalmente à INOVAÇÃO. A pluraridade de idéias, experiências e culturas contribuiu para a discussão e a melhores resultados, se compararmos com as mesmas atividades sendo realizadas sem o auxílio das redes sociais.

Para saber mais sobre o professor Ronald Burt, da Universidade de Chicago, basta buscar no Google, pois, ele possui muitos artigos e outras publicações a respeito do assunto.

Como referência e leitura complementar deste post, acesse o link a seguir (em inglês):
http://bhc3.wordpress.com/2009/04/29/what-enterprise-social-networks-do-well-produce-higher-quality-ideas/

Um grande abraço,
Antonio Ricardo Gonçalves