Colaboração, Aplicativos, Aplicações, Web 2.0…

     Com a absorção gradual do conceito WEB 2.0 (Sugiro este link para quem não conhece o termo Web 2.0: http://pt.wikipedia.org/wiki/Web_2.0) pelas empresas, cada vez mais a Colaboração é viabilizada em nosso dia-a-dia nas corporações.

     Através de produtos e soluções desenvolvidos pelos maiores fornecedores de TI como IBM, Microsoft, SAP, Oracle entre outras empresas, está cada dia mais simples a integração dos sistemas e departamentos de uma empresa, proporcionando que o conceito colaboração seja adotado e difundido.

     Para exemplificar a situação vamos imaginar uma intranet onde cada um dos colaboradores possua uma página pessoal (Podemos utilizar os produtos da linha SharePoint da Microsoft, WebSphere da IBM etc.) com suas informações pessoais, sejam estas informações confidenciais ou compartilhadas com outros colaboradores. Além desta intranet a empresa possui vários outros sistemas onde o usuário faz conexão para suas atividades diárias. (Acredito que neste ponto você já esteja torcendo o nariz e pensando… Lá vem mais um sistema para eu me conectar e mais senhas para decorar..! Não desanime, pois, é exatamente o contrário!)

     Com o cenário acima em mente, podemos, ao invés de fornecer mais um usuário e senha para outro sistema, partirmos na direção inversa, ou seja, iniciarmos um trabalho de convergência das aplicações e suas respectivas autenticações (usuário e senha).

     Um ótimo exemplo prático para aplicarmos na situação acima é a consulta ao demonstrativo de pagamento (contracheque) onde, ao invés da necessidade de conexão ao sistema do RH para consultar seu extrato, é possível que, por meio da integração dos sistemas utilizando-se o conceito de Web 2.0, sua consulta esteja disponível diretamente no seu espaço pessoal na intranet, sem a necessidade de efetuar “logon” em diferentes sistemas, com diferentes usuários e senhas.

     O exemplo acima tem o objetivo de demonstrar a relação entre a Web 2.0 e a Colaboração, pois, através de novos meios e sistemas desenvolvidos na Web 2.0, a colaboração nas empresas passou a ser uma realidade e não apenas teoria.

COLABORE COM O BLOG E PARTICIPE DA PESQUISA ABAIXO:

Grande abraço e
Um Feliz 2010!!!
Antonio Ricardo Gonçalves

Colaboração: Um recurso para grandes ou pequenos

     Um dos fatores que contribuem – negativamente – para que o conceito de Colaboração não avance nas empresas de pequeno e médio porte é que muitas destas empresas acreditam não ter acesso a este tipo de tecnologia por conta de altos custos ou necessidade de uma infraestrutura muito elaborada.

     Felizmente este é apenas mais um mito, pois, é possível que qualquer empresa tenha uma solução de colaboração ao seu alcance, muitas vezes, gratuitamente. Basta ter acesso a internet e tudo está resolvido, pois, existem inúmeras empresas oferecendo serviços voltados à colaboração com inúmeros recursos para melhorar a produtivade de sua empresa,com baixo custo e em alguns casos com custo ZERO.

      Como exemplo, vou citar um site chamado AgreeADate (http://www.agreeadate.com), onde é possível através de uma interface muito simples e em alguns minutos, criar e controlar uma reunião presencial ou uma teleconferência, entre outros eventos. Através do site é possível enviar convites, controlar as confirmações, enviar questões referentes ao evento, divulgar pesquisas relacionadas à pauta, entre outras opções. Trata-se de uma ferramenta muito elaborada e simples de usar e que irá transforma qualquer evento num encontro muito bem organizado desde o seu início.

      Então… Mãos à obra! Comece a sua jornada nas ferramentas de colaboração. Tenho certeza que seu trabalho tornar-se-á muito mais produtivo e organizado e, para auxiliar a busca pelas ferramentas, acesse o link a seguir, pois, lá você irá encontrar várias categorias de softwares de colaboração. http://www.mindmeister.com/12213323

Grande abraço e
Um ótimo 2010 à todos!
Antonio Ricardo Gonçalves

Gestão da Colaboração

Hoje estava batendo um papo informal com um amigo a respeito da colaboração e especialmente sobre o aspecto de sua “decolagem” fracassar em várias empresas e projetos. Bom, após, quase uma hora de bate-papo – e alguns copos de chope – chegamos a palavra mágica que geralmente é caminho crítico nos projetos de TI no Brasil e também é o calcanhar de Aquiles em muitas empresas. Alguém adivinhou? É esta aqui –> GESTÃO! Ou em nosso caso, a falta dela.

Como em qualquer projeto de TI, a gestão é fundamental para que a prática da Colaboração na WEB decole e emplaque nas empresas e infelizmente, este quesito permanece um assunto delicado.

Muitas empresas investem milhares de reais – ou dólares – comprando soluções revolucinária, com softwares / hardwares de última geração e se esquecem de planejar algo básico: A partir do momento que a empresa estabelecer que decidiu adotar a Colaboração na WEB, consequentemente ela assume que será proprietária de um repositório infinito de INFORMAÇÕES… Legal, não é?! Sim e não, pois, isto depende de como você irá gerenciar suas informações. E esta questão, na maioria das vezes, é mal planejada, estruturada e gerenciada. A TI se esquece que NÃO É proprietária das informações e SIM e apenas responsável pela disponibilidade da solução adotada.

Uma boa prática para auxiliar na solução desta questão é definir quem será(ão) o(s) gestor(es) das informações, ou seja, definir as áreas e as pessoas envolvidas nesta nova atividade de colaborar utilizando sistemas de TI e deixar bem claros os respectivos papéis. Desta forma, os envolvidos podem saber com clareza quais serão os benefícios e os prejuízos causados por sua atuação de acordo suas responsabilidades no processo.

Para exemplificar, vamos pensar em algo que todos funcionários se ineteressam: o ALMOÇO.
Imaginemos que uma montadora queira disponibilizar o cardápio da semana em sua intranet aos domingos, à zero hora. Antes da informação chegar a intranet, precisaremos que alguém defina o cardápio, haja aprovação (em um ou mais níveis) até que este seja disponibilizado.
Se este caminho – processo – não estiver definido e cada um dos envolvidos não possuir a consciência de suas responsabilidade e, o principal, se não houver um GESTOR para administar e “fazer acontecer” esta situação aparentemente simples, a solução não irá atingir o objetivo. 
Note que o gestor não necessariamente uma pessoa, mas sim, uma função e qualquer um dos envolvidos no processo acima pode ter, além de sua função principal – como a nutricionista que define o cardápio – atua como gestor deste processo.

Para concluir o assunto, é interessante ressaltar o termo GESTÃO e a importância dele no sucesso dos projetos de colaboração na WEB. Também é importante lembrar que TI precisa fazer o dever de casa: ENVOLVER todas áreas e pessoas relacionadas a um projeto de colaboração online.

Um ENORME Abraço,
Antonio Ricardo

Solução para Colaboração

Para auxiliar no entendimento dos assuntos abordados neste BLOG, minha sugestão é acessar o site do SharePoint (em português), onde é possível entender como uma solução – de colaboração, portais, pesquisa corporativa (POST ANTERIOR), processos entre outros recursos – funciona na prática.

É possível entender as possibilidades e aprender com experiências de outras empresas que já adotaram a cultura e ferramenta de colaboração.

ACESSE e confira em http://office.microsoft.com/pt-br/sharepointserver/default.aspx 

Um grande abraço,
Antonio Ricardo Gonçalves
Consultor Sr. de TI