Mais novidades: Twitter integra-se ao PowerPoint

Veja a matéria publicada na Info: http://info.abril.com.br/dicas/internet/blogs/twitter-integrase-ao-powerpoint.shtml

Um abraço!

Anúncios

Computerworld: LinkedIn para BlackBerry é lançado

Um ano e meio depois de rodar no iPhone, da Apple, aplicativo para acesso à rede social já está disponível para usuários dos smartphones da RIM.

Dezoito meses depois de já rodar no iPhone, o aplicativo para acesso ao Linkedin a partir de smartphones chega à plataforma Blackberry. Durante todo esse tempo, uma equipe da rede social para negócios vem trabalhando com a RIM  na integração do aplicativo com recursos especiais dos aparelhos Posto, Curve e Bold.

Tyler Lessard,  vice-presidente de Alianças Globais e Relações com os Desenvolvedores da RIM, garante que o aplicativo foi construído para tirar proveito dessa integração com os sistemas de e-mail do BlackBerry, calendário e gerenciador de contatos. O LinkedIn para BlackBerry também inclui pesquisa padrão, mensagens e atualizações de recursos de rede.

Gratuito, o aplicativo roda, com algumas limitações, em todos os dispositivos equipados com a versão 4.3 ou superior do BlackBerry OS, e de forma plema com aplicações nativas BlackBerry do BlackBerry OS 4.6 ou posterior.

Fonte: Computerworld Brasil

Um abraço!
Antonio Ricardo Gonçalves

Aparelho de TV com rede social está a caminho

Depois de se firmar nas telas de computadores e smartphones, o próximo passo do Google pode ser rumo às televisões. Segundo matéria pulicada pelo jornal The New York Times, a empresa se uniu à Intel e à Sony para desenvolver uma nova classe de televisores equipados com internet, o Google TV.

A ideia é tornar mais rica a experiência de navegar na internet pela televisão, incorporando diversos aplicativos da web aos televisores. Hoje já existem TVs com conexão à internet, mas a navegação ainda é limitada.

De acordo com o NYT, a televisão utiliza Android, sistema operacional desenvolvido pelo Google para smartphones. Já a parte de hardware contará com microprocessadores da Intel, e a Sony, como se pode imaginar, entrará na parceria com os televisores.

Outra empresa que pode participar do desenvolvimento do Google TV é a Logitech, que ficaria responsável pela criação do controle remoto e de outros periféricos. A novidade seria um pequeno teclado para controlar o aparelho.

Redes sociais

O objetivo do projeto é criar um novo padrão na maneira de ver TV. O espectador poderia, por exemplo, buscar informações na internet enquanto vê um programa.

Um dos grandes trunfos do Google TV, porém, é a incorporação de aplicativos da web aos televisores. Entre os aplicativos estão redes sociais, como Twitter, Facebook e Orkut, e sites de fotos, como o Picasa.

Outra possibilidade é montar a própria programação a partir de vídeos do YouTube. Além disso, será possível fazer compras e downloads.

Nenhuma das três empresas confirmou a novidade, mas o projeto está sendo desenvolvido há alguns meses, segundo o NYT. A expectativa é de que o Google faça o anúncio oficial durante uma conferência em maio.

Fontes: Jornal Destak SP e NY Times

Um abraço,
Antonio Ricardo Gonçalves

O que é Web 2.0? (Conceito básico)

     O termo Web 2.0 está associado a aplicações WEB onde o objetivo principal é facilitar os seguintes aspectos: Compartilhamento de informações de maneira interativa, interoperabilidade, desenvolvimento com foco no usuário e colaboração na World Wide Web (www).

Um site baseado no conceito Web 2.0 proporciona que o usuário interaja com outros usuários ou mesmo altere o conteúdo deste site, diferente dos sites da geração Web 1.0, onde o conteúdo era – ou é – estático, ou seja, o usuário apenas tinha acesso para ler as informações, sem nenhum outro tipo de recurso adicional.

Alguns exemplos de sites Web 2.0 são as redes sociais, comunidades, wikis, blogs, sites que compartilham vídeo entre outros vários tipos de aplicações – como as de colaboração – que proporcionam tal interatividade.

O termo Web 2.0 (2004) está associado com Tim O’Reilly, que utilizou pela primeira vez este termo – e também o conceito – no evento O’Reilly Media Web 2.0 conference in 2004.

Clique AQUI para ver outra publicação sobre Web 2.0 em meu BLOG: https://antonioricardo.org/2010/09/29/o-que-e-web-2-0/
Neste artigo abordo com mais detalhes técnicos e exemplificando com cenários e diagramas. Confira!

Um abraço,
Antonio Ricardo Gonçalves

Colaboração, Aplicativos, Aplicações, Web 2.0…

     Com a absorção gradual do conceito WEB 2.0 (Sugiro este link para quem não conhece o termo Web 2.0: http://pt.wikipedia.org/wiki/Web_2.0) pelas empresas, cada vez mais a Colaboração é viabilizada em nosso dia-a-dia nas corporações.

     Através de produtos e soluções desenvolvidos pelos maiores fornecedores de TI como IBM, Microsoft, SAP, Oracle entre outras empresas, está cada dia mais simples a integração dos sistemas e departamentos de uma empresa, proporcionando que o conceito colaboração seja adotado e difundido.

     Para exemplificar a situação vamos imaginar uma intranet onde cada um dos colaboradores possua uma página pessoal (Podemos utilizar os produtos da linha SharePoint da Microsoft, WebSphere da IBM etc.) com suas informações pessoais, sejam estas informações confidenciais ou compartilhadas com outros colaboradores. Além desta intranet a empresa possui vários outros sistemas onde o usuário faz conexão para suas atividades diárias. (Acredito que neste ponto você já esteja torcendo o nariz e pensando… Lá vem mais um sistema para eu me conectar e mais senhas para decorar..! Não desanime, pois, é exatamente o contrário!)

     Com o cenário acima em mente, podemos, ao invés de fornecer mais um usuário e senha para outro sistema, partirmos na direção inversa, ou seja, iniciarmos um trabalho de convergência das aplicações e suas respectivas autenticações (usuário e senha).

     Um ótimo exemplo prático para aplicarmos na situação acima é a consulta ao demonstrativo de pagamento (contracheque) onde, ao invés da necessidade de conexão ao sistema do RH para consultar seu extrato, é possível que, por meio da integração dos sistemas utilizando-se o conceito de Web 2.0, sua consulta esteja disponível diretamente no seu espaço pessoal na intranet, sem a necessidade de efetuar “logon” em diferentes sistemas, com diferentes usuários e senhas.

     O exemplo acima tem o objetivo de demonstrar a relação entre a Web 2.0 e a Colaboração, pois, através de novos meios e sistemas desenvolvidos na Web 2.0, a colaboração nas empresas passou a ser uma realidade e não apenas teoria.

COLABORE COM O BLOG E PARTICIPE DA PESQUISA ABAIXO:

Grande abraço e
Um Feliz 2010!!!
Antonio Ricardo Gonçalves

Colaboração e a TV Digital no Brasil

     Às vésperas da chegada dos aparelhos que irão permitir a interatividade entre as emissoras de TV Digital e seus respectivos telespectadores podemos perceber mais um segmento com imenso potencial de colaboração ainda totalmente inexplorado.

     Provavelmente esta primeira experiência de interatividade será um pouco frustrante para os telespectadores, pois, pelo que tenho pesquisado a respeito, estas transmissões iniciais com recursos de interatividade serão limitadas a consulta de sinopses de filmes e novelas e alguns outros tipos de informações como classificação de campeonatos de futebol. Todas estas bem reduzidas ao formato atual, ou seja, fornecimento de informações sem interatividade alguma.

     Pensando nas possibilidades e no futuro da TV Digital, percebemos que, ao adotarmos recursos de colaboração, passaremos realmente para uma nova era, onde será possível trocar experiências entre as emissoras e telespectadores e mesmo entre os telespectadores de várias maneiras.

     Podemos exemplificar a venda de um produto qualquer (eletrodoméstico, eletrônico etc.) através de uma TV interativa onde de acordo com o número de interessados o preço fique mais atrativo, ou seja, o Canal de TV de Ofertas anuncia que um aparelho de TV sairá com 40% de desconto, desde que 100 telespectadores fechem a compra. Com recursos de interatividade, seria possível (através de um sistema de computador) que os interessados fossem demonstrando seu interesse no produto e caso fosse atingido este número mínimo de 100 compradores a compra fosse finalizada.

     Existem outros recursos que seriam possíveis neste tipo de interação e colaboração como avisar outros interessados de maneira instantânea (através de recursos de integração com sistemas como MSN Messenger, Twitter, Facebook etc.), consultar a opinião de outros compradores deste mesmo produto (consultando sites como o Reclame Aqui ou mesmo fóruns de discussão).

     Enfim, analisando nosso cenário atual e o que vem por aí, é possível percebermos que – ao contrário do discurso de muitos – as redes sociais e a colaboração estão apenas iniciando suas jornadas. Aproveitando a relação com o assunto TV Digital no Brasil, eu digo que estamos apenas nos primeiros capítulos de muitos que estão por vir.

O IDG Now publicou uma matéria muito interessante a respeito da TV Digital Brasileira e o início das transmissões interativas. Acesse aqui: http://idgnow.uol.com.br/telecom/2009/12/21/tvs-adotam-cautela-as-vesperas-da-estreia-da-interatividade-na-tv-digital/

 

Grande Abraço,
Feliz Natal e
Um Excelente 2010!

Antonio Ricardo Gonçalves