O que é SaaS, IaaS e PaaS em Cloud Computing? (Conceitos básicos)

Hoje vou tratar objetivamente e com abordagem simples a respeito destas três siglas relacionadas a Computação em Nuvem (Cloud Computing em inglês), que, apesar de não se tratarem de algo tão novo assim, causam dúvidas em quem não tem muito contato com conceitos de tecnologia da informação.

SaaS – Software as a Service (Software como Serviço):
É um modelo onde a aquisição e/ou utilização de um software não está relacionado a compra de licenças, ou seja, você utiliza algum software e paga por sua utilização. Como exemplo, para fácil compreensão, cito o Skype da Microsoft. O Skype é um software de comunicação que permite vários tipos de utilização, que pode ser a simples troca de mensagens até uma videoconferência em grupo. Para utilizar o Skype você não paga nenhum tipo de licença, e é tarifado (ou cobrado) de acordo com os serviços que utiliza. Por exemplo, se você utiliza apenas o recurso de videoconferência em grupo, pode contratar apenas este recurso, porém, é possível combinar vários recursos oferecidos adaptáveis a sua necessidade. É um modelo flexível, que lhe permite controlar o que você necessita, pagando apenas pelo que utiliza em determinado período ou situação pontual. Resumidamente, você paga o serviço e não o produto. (Pesquise também o Lync Server e o Webex)

IaaS – Infrastructure as a Service (Infraestrutura como Serviço):
De maneira análoga a anterior, neste modelo você contrata sua infraestrutura como serviço, com uma vantagem muito interessante ao modelo tradicional, que é a contratação de servidores virtuais (e outros dispositivos de infraestrutura) ao invés de comprar servidores, roteadores, racks e outras “caixas” de hardware. Aqui você é tarifado por alguns fatores, como o número de servidores virtuais, quantidade de dados trafegados, dados armazenados e outros itens, dependendo de como e com quem (fornecedor IaaS) você trabalha. Neste caso, creio que Amazon EC2 e a IBM sejam bons exemplos para quem queira pesquisar mais sobre o assunto. No IaaS, obviamente também é utilizado o modelo pay-per-use, onde a cobrança é baseada no serviço e não em produto, ou seja, se você precisa de 10 servidores para o próximo mês, você contrata a utilização destes servidores por este período determinado e depois, simplesmente cancela a utilização, exatamente como a compra de um serviço de TV a cabo ou um plano de serviço de dados para seu celular.

PaaS – Platform as a Service (Plataforma como Serviço):
Aqui temos um modelo que fica entre o SaaS e IaaS, proporcionando uma plataforma mais robusta e flexível para a utilização de muitos recursos de tecnologia, onde é possível a utilização de softwares de maneira mais flexível, sendo possível desenvolver suas próprias aplicações baseadas em alguma tecnologia (framework, linguagem etc.) e utilizar a infraestrutura necessária, e o mais importante, adequada a aplicação desenvolvida. Pense em uma solução onde você necessite de um software, porém, por alguma limitação de um fornecedor do modelo SaaS, você não conseguirá implementar um determinado recurso personalizado que é fundamental para seu negócio. É aqui que o modelo PaaS é interessante, pois, você pode utilizar a mesma estrutura que você teria “em casa”, porém, utilizando o modelo “as a service”, livrando-se da aquisição de hardware, licenças de software etc. e utilizando esta mesma estrutura como serviço. Para entender este modelo é muito interessante pesquisar sobre o Microsoft Azure. Aliás, o Azure é bem flexível e lhe permite utilizar, além do PaaS, também os modelos SaaS e IaaS.

De uma maneira bem simplista, podemos dizer que os modelos SaaS, IaaS e Paas em Cloud Computing são substitutos para a infraestrutura tradicional com o diferencial do modelo de comercialização, que, ao invés de licenciamento, utiliza um modelo baseado em pagamento por utilização de recursos.

Espero ter contribuído para facilitar o entendimento. E, em caso de dúvidas, mantenha contato.

Sempre lembre-se que qualquer tecnologia deve ser utilizada para apoiar o negócio, então, antes de decidir, analise se é o momento certo para utilizar ou não alguma solução. Também considere sempre a possibilidade de evolução em ondas, ou seja, comece utilizando moderadamente as tecnologias que você não se sente seguro e vá aprendendo e evoluindo. Só não deixe de inovar no apoio aos negócios, senão você ficará para trás e terá que dar um salto bem grande para atualizar sua tecnologia, o que pode causar prejuízo na continuidade dos negócios de sua empresa.

Caso queira saber mais sobre o tema Cloud Computing, acesse este outro post, onde a abordagem é apenas Computação em Nuvem: https://antonioricardo.org/2013/09/18/cloud-computing/

Grande abraço!
Antonio Ricardo

Publicidade

Gostei deste artigo de um colega canadense e decidi “mandar um reblog” nele!
Boa leitura!!!

Cloud Computing Best Practices

A headline theme for our next webinar will be ‘Microsoft Private Cloud 2.0’.

Private Cloud Application Platform

Two years ago I described an upcoming market that I initially defined as the Private Cloud Application Platform.

Recently Microsoft began prosecuting this space with their PCSS initiative, the Private Cloud Solutions Suite, bringing together a partner group that enables the PCAP I described, wrapping lots of value around the core MS suite of Hyper-V and System Centre.

This really starts to get the right ingredients for the real secret sauce to the Private Cloud story.

As we have all gathered, simply implementing yet more virtualization is hardly a new story for the enterprise data-centre so instead to really make it cook we need a full implementation of all aspects of the Cloud, internally, in particular both PaaS and SaaS – Platform and Software as a Service.

This combination of additional capabilities…

Ver o post original 424 mais palavras

Em breve, nova série de Publicações, direcionadas a Colaboração com SharePoint

Olá amigos,

Em breve estarei de volta com uma pequena série de publicações destinadas ao entendimento da utilização do SharePoint como solução integrada a outros sistemas (minha sugestão é que você conheça o sistema PI da OSiSoft), pois, vou iniciar a série com alguns exemplos de integração entre sistemas tradicionais e sistemas com foco em computação social, auxiliando desta forma, a tomada de decisões estratégicas baseadas em informações da operação da empresa, utilizando-se informações históricas ou em tempo real.

OSI Soft: http://www.osisoft.com

Em breve, começarei o ciclo de publicações.

Um abraço!
Antonio Ricardo Gonçalves

Hora de priorizar…

Olá amigos,
Vou deixar de publicar novos artigos nos próximos meses, pois, estou com vários projetos profissionais e pessoais aos quais estou me dedicando prioritariamente.

Agradeço a todos pelo tempo dedicado a leitura dos artigos e também pela troca de conhecimento através deste Blog.

Até mais,
Antonio Ricardo Gonçalves
Twitter: @argoncalves
LinkedIn: http://br.linkedin.com/in/antonioricardo

A vida é muito curta para ser pequena. – Benjamin Disraeli

Salesforce vai as compras novamente!

Desta vez a Salesforce foi às compras e está fortalecendo a colaboração em seus serviços online. No último dia 6 de janeiro de 2011 foi anunciada a compra da empresa DimDim pela Salesforce pelo valor de US$ 31 mi.

A DimDim desenvolveu uma plataforma de colaboração com recursos de mensagens, compartilhamento de telas, chat entre outras funcionalidades de colaboração, que chamaram a atenção de Salesforce, que até então não possuia um serviço com a mesma qualidade da DimDim para oferecer juntos com seus serviços em nuvem.

Se você se interessa pelos assuntos deste blog vale a pena passar pelos sites da Salesforce e da DimDim para entender na prática o que é tirar proveito dos conceitos da Web 2.0 e dos recursos de Colaboração pela Web. Você também irá perceber outro conceito que tenho abordado: Cloud Computing. A Salesforce está literalmente nas nuvens.

Salesforce: http://www.salesforce.com/
DimDim: http://www.dimdim.com/

Um grande abraço,
Antonio Ricardo Gonçalves

Microsoft libera a plataforma BPOS no Brasil

Esta semana, a Microsoft lançou oficialmente no Brasil o BPOS (Business Productivity Online Suite), seu conjunto de soluções de colaboração e mensageria, que contém as soluções Exchange Online, SharePoint Online, Office Live Meeting e Office Communications.

Clique no link  a seguir para assistir a apresentação: http://www.microsoft.com/online/pt-br/demo/demo.aspx

Para mais informações acesse  http://www.microsoft.com/online/business-productivity.mspx

Um abraço,
Antonio Ricardo Gonçalves

CIO USA:Um guia com “quase” tudo sobre SharePoint!

Se você está pensando em adotar o SharePoint como plataforma de colaboração ou mesmo em outras dezenas de possibilidade onde ele se encaixa perfeitamente, como intranets, extranets, sites corporativos e assim por diante, acesse o link a seguir e confira uma série especial publicada na revista americana CIO.

O conteúdo foi muito bem elaborado, contendo desde os fundamentos, passando pelos vários tipos de utilização do produto e também auxiliando na análise de custos das licenças e da manutenção da plataforma.

Eis aqui – conforme o título publicado pela CIO Magazine – a “bíblia do sharepoint”:
http://www.cio.com/article/588465/SharePoint_Bible_Your_Complete_Guide_to_Microsoft_s_Collaboration_Software

Boa leitura e um grande abraço!
Antonio Ricardo Gonçalves

Mais novidades: Twitter integra-se ao PowerPoint

Veja a matéria publicada na Info: http://info.abril.com.br/dicas/internet/blogs/twitter-integrase-ao-powerpoint.shtml

Um abraço!

Sistemas para Gerenciamento de Conteúdo

Este POST aborda os sistemas para gerencimento de conteúdo de forma direta. Espero encorajar os leitores a adotarem uma solução de colaboração, mesmo que esta seja básica.

Que tal começar com um Blog de alguém que esteja disposto a compartilhar sua experiência dentro da empresa ou um Wiki direcionado a um departamento onde a troca de conhecimento e informações seja vital ao seu negócio???!!! 

      Vamos ao POST!!! —> 

       Para que seja possível colocar em prática os nossos conhecimentos sobre Redes Sociais Corporativas e Colaboração é necessário que um software seja escolhido, baseando-se em necessidades e critérios pré-estabelecidos pela empresa e patrocinadores do projeto.

      Esta escolha deve tomar como base questões do tipo:

– Tamanho da empresa;
– Abrangência do projeto (corporativo, departamental, etc.);
– Custo x benefício;
– Grau de dificuldade para implementar e manter a solução;
– Capacitação e necessidade de treinamento dos envolvidos (analistas de TI, autores, revisores, gestores de conteúdo).

     A partir da análise das questões acima (e mais algumas que sejam relevantes para seu projeto) você pode partir para a escolha da sua estratégia de aquisição da solução, que pode ser através de serviço ou aquisição de um produto (software).

             Existem inúmeras soluções para este fim. A seguir, apresento algumas com os respectivos links.

Soluções para Content Management Systems (CMS)
Sistemas para Gerenciamento de Conteúdo

Adobe – Adobe Contribute Publishing Server

Microsoft – SharePoint

IBM – Lotus Web Content Management

Joomla – Joomla

Drupal – Drupal

Google – Google Apps

Feliz 2010!!!
Antonio Ricardo Gonçalves

Colaboração on line: Soluções!

Quando o assunto é colaboração online (ou colaboração na web) temos inúmeros tipos ou categorias de soluções. Vamos conhecer algumas…

Gerenciamento de Projetos: Com este tipo de categoria de colaboração, podemos gerenciar um projeto de qualquer dimensão ou segmento, independente de onde os envolvidos no projeto estejam.

Por exemplo, imagine um projeto que irá criar uma nova peça para um automóvel onde a equipe técnica de projetistas – que irá trabalhar na criação – esteja na Alemanha, porém, a peça será moldada em Londes, pois, lá está a empresa escolhida para esta moldagem e assim por diante, tendo equipes com funções e conhecimentos diferentes em vários lugares do planeta. Como fazer que esta integração de equipes funcione corretamente e a esteja pronta para ir para a linha de produção?
Bom… Aqui entra a colaboração online, pois, com a utilização de um software (programa de computador) de gestão de projetos baseado no conceito de colaboração online (Qualquer um dos envolvidos pode acessá-lo em qualquer lugar), o responsável pelo projeto é capaz de criar, delegar e controlar atividades em tempo real e gerenciar qualquer item deste projeto como recursos financeiros ou humanos, prazos etc.

Mensagens Instantâneas (Instant Messaging IM): Como o próprio nome descreve, podemos utilizar este tipo de categoria para comunicação instantânea, auxiliando na comunicação empresarial, por exemplo, sem que as pessoas estejam no mesmo local físico (uma sala de reunião) para que os assuntos de um projeto (como o mencionado no item acima) sejam discutidos por vários especialistas e gerentes envolvidos em tal projeto. Outra categoria que está relacionada a este tipo de comunicação são os CHATs ou sala de bate-papo que pode ser utilizado com os mesmos objetivos de comunicação, seja ela verbal, escrita ou visual.

Videoconferência: Muito semelhante ao item anterior, a videoconferência proporciona que através de um conjunto de hardware e software, seja possível que pessoas distribuidas geograficamente em diferentes pontos possam interagir em uma reunião, palestra, conferência etc. de maneira simples e de baixo custo.
Se você comparar o custo de uma solução de videoconferência com passagens aéreas Brazil / Europa, por exemplo, irá perceber que é muito mais vantajoso que as pessoas interajam através de vidoconferência ao invés de custear viagens.

Estes são apenas alguns exemplos. Em breve vamos conversar sobre mais alguns exemplos e como estas categorias de colaboração se complementam entre si.

Um último detalhe – mas MUITO importante – é que todas as soluções mencionadas neste post, podem ser adquiridas / utilizadas de várias formas. Você pode possuir a solução instalada na sua empresa ou mesmo comprar / alugar as soluções como serviços de algum fornecedor. Afinal estamos em plena era das Nuvens (Cloud Computing) e tem muuuitas empresas atuando na comercializando destes serviços.

Um abraço,
Antonio Ricardo Gonçalves
Consultor Sr. de TI