CBC News – World – How social media is changing the aid business

Esta publicação foi feita através do site da CBC News, utilizando uma das facilidades da WEB 2.0! 

Clique no LINK abaixo para ler a matéria!
CBC News – World – How social media is changing the aid business.

Um abraço!
Antonio Ricardo Gonçalves

Anúncios

Colaboração + Grupos de Trabalho + Projetos = Resultados

     Alguns dos maiores beneficiados com as Redes Sociais Corporativas são os responsáveis por projetos, sejam eles coordenadores, gerentes ou patrocinadores.

     A partir de sistemas web desenvolvidos para tal finalidade, tornou-se possível gerenciar projetos de maneira mais eficiente e eficaz, através de soluções que disponibilizam controle de tarefas, custos, prazos, recursos humanos entre outras dezenas de possibilidades. É possível acompanhar qualquer um dos envolvidos em projetos, independentemente de localização geográfica, função (seja o envolvido, um gestor de departamento ou um técnico de um prestador de serviços).

     Utilizando como exemplo prático o Project Server / EPM 2007 da Microsoft, a partir do momento que um colaborador passa a ser um membro de um projeto, ele irá obter acesso a uma área (grupo de trabalho) onde ele poderá compartilhar (fornecendo e recebendo) informações, controlar as suas atividades, participar de conferências / reuniões on-line entre outros recursos. Algo bem interessante é a possibilidade deste colaborador ter acesso a um conjunto de informações de outros projetos que estão ocorrendo e aqueles que já foram finalizados, pois, desta forma ele poderá reutilizar processos, documentos e também conhecimentos previamente utilizados.

Área de Trabalho do EPM 2007

A seguir segue o link para quem deseja conhecer um pouco mais a respeito do EMP 2007. Trata-se de uma demonstração da solução:
http://www.microsoft.com/project/en/us/demo-enterprise-project-management.aspx

Um Abraço,
Antonio Ricardo Gonçalves

Gestão da Colaboração

Hoje estava batendo um papo informal com um amigo a respeito da colaboração e especialmente sobre o aspecto de sua “decolagem” fracassar em várias empresas e projetos. Bom, após, quase uma hora de bate-papo – e alguns copos de chope – chegamos a palavra mágica que geralmente é caminho crítico nos projetos de TI no Brasil e também é o calcanhar de Aquiles em muitas empresas. Alguém adivinhou? É esta aqui –> GESTÃO! Ou em nosso caso, a falta dela.

Como em qualquer projeto de TI, a gestão é fundamental para que a prática da Colaboração na WEB decole e emplaque nas empresas e infelizmente, este quesito permanece um assunto delicado.

Muitas empresas investem milhares de reais – ou dólares – comprando soluções revolucinária, com softwares / hardwares de última geração e se esquecem de planejar algo básico: A partir do momento que a empresa estabelecer que decidiu adotar a Colaboração na WEB, consequentemente ela assume que será proprietária de um repositório infinito de INFORMAÇÕES… Legal, não é?! Sim e não, pois, isto depende de como você irá gerenciar suas informações. E esta questão, na maioria das vezes, é mal planejada, estruturada e gerenciada. A TI se esquece que NÃO É proprietária das informações e SIM e apenas responsável pela disponibilidade da solução adotada.

Uma boa prática para auxiliar na solução desta questão é definir quem será(ão) o(s) gestor(es) das informações, ou seja, definir as áreas e as pessoas envolvidas nesta nova atividade de colaborar utilizando sistemas de TI e deixar bem claros os respectivos papéis. Desta forma, os envolvidos podem saber com clareza quais serão os benefícios e os prejuízos causados por sua atuação de acordo suas responsabilidades no processo.

Para exemplificar, vamos pensar em algo que todos funcionários se ineteressam: o ALMOÇO.
Imaginemos que uma montadora queira disponibilizar o cardápio da semana em sua intranet aos domingos, à zero hora. Antes da informação chegar a intranet, precisaremos que alguém defina o cardápio, haja aprovação (em um ou mais níveis) até que este seja disponibilizado.
Se este caminho – processo – não estiver definido e cada um dos envolvidos não possuir a consciência de suas responsabilidade e, o principal, se não houver um GESTOR para administar e “fazer acontecer” esta situação aparentemente simples, a solução não irá atingir o objetivo. 
Note que o gestor não necessariamente uma pessoa, mas sim, uma função e qualquer um dos envolvidos no processo acima pode ter, além de sua função principal – como a nutricionista que define o cardápio – atua como gestor deste processo.

Para concluir o assunto, é interessante ressaltar o termo GESTÃO e a importância dele no sucesso dos projetos de colaboração na WEB. Também é importante lembrar que TI precisa fazer o dever de casa: ENVOLVER todas áreas e pessoas relacionadas a um projeto de colaboração online.

Um ENORME Abraço,
Antonio Ricardo

Colaboração on line: Soluções!

Quando o assunto é colaboração online (ou colaboração na web) temos inúmeros tipos ou categorias de soluções. Vamos conhecer algumas…

Gerenciamento de Projetos: Com este tipo de categoria de colaboração, podemos gerenciar um projeto de qualquer dimensão ou segmento, independente de onde os envolvidos no projeto estejam.

Por exemplo, imagine um projeto que irá criar uma nova peça para um automóvel onde a equipe técnica de projetistas – que irá trabalhar na criação – esteja na Alemanha, porém, a peça será moldada em Londes, pois, lá está a empresa escolhida para esta moldagem e assim por diante, tendo equipes com funções e conhecimentos diferentes em vários lugares do planeta. Como fazer que esta integração de equipes funcione corretamente e a esteja pronta para ir para a linha de produção?
Bom… Aqui entra a colaboração online, pois, com a utilização de um software (programa de computador) de gestão de projetos baseado no conceito de colaboração online (Qualquer um dos envolvidos pode acessá-lo em qualquer lugar), o responsável pelo projeto é capaz de criar, delegar e controlar atividades em tempo real e gerenciar qualquer item deste projeto como recursos financeiros ou humanos, prazos etc.

Mensagens Instantâneas (Instant Messaging IM): Como o próprio nome descreve, podemos utilizar este tipo de categoria para comunicação instantânea, auxiliando na comunicação empresarial, por exemplo, sem que as pessoas estejam no mesmo local físico (uma sala de reunião) para que os assuntos de um projeto (como o mencionado no item acima) sejam discutidos por vários especialistas e gerentes envolvidos em tal projeto. Outra categoria que está relacionada a este tipo de comunicação são os CHATs ou sala de bate-papo que pode ser utilizado com os mesmos objetivos de comunicação, seja ela verbal, escrita ou visual.

Videoconferência: Muito semelhante ao item anterior, a videoconferência proporciona que através de um conjunto de hardware e software, seja possível que pessoas distribuidas geograficamente em diferentes pontos possam interagir em uma reunião, palestra, conferência etc. de maneira simples e de baixo custo.
Se você comparar o custo de uma solução de videoconferência com passagens aéreas Brazil / Europa, por exemplo, irá perceber que é muito mais vantajoso que as pessoas interajam através de vidoconferência ao invés de custear viagens.

Estes são apenas alguns exemplos. Em breve vamos conversar sobre mais alguns exemplos e como estas categorias de colaboração se complementam entre si.

Um último detalhe – mas MUITO importante – é que todas as soluções mencionadas neste post, podem ser adquiridas / utilizadas de várias formas. Você pode possuir a solução instalada na sua empresa ou mesmo comprar / alugar as soluções como serviços de algum fornecedor. Afinal estamos em plena era das Nuvens (Cloud Computing) e tem muuuitas empresas atuando na comercializando destes serviços.

Um abraço,
Antonio Ricardo Gonçalves
Consultor Sr. de TI