Os avanços da TI e os paradigmas da informação descentralizada

Não é novidade que a TI avançou muito mais na última década – do que em décadas anteriores – em relação a aplicativos e soluções web e, somando a este fato, a maior facilidade de utilização de tais aplicações em dispositivos móveis, vem ocorrendo outro fenômeno que é o crescimento das informações que estamos compartilhando, seja criando fontes de informações, acessando ou ainda compartilhando tais informações através da computação social.

Este cenário nos coloca em uma situação muito interessante por um lado que é a maior facilidade de aprendizado e a criação de novos pequenos e médios negócios, porém de muita dificuldade se olhamos através da ótica das grandes empresas, principalmente as mais conservadoras. E a questão é simples: Qual rumo tomar?

Bom, vamos começar pela questão das empresas que possuíam acesso limitado as soluções competitivas de TI, como, por exemplo, um ERP – que é algo básico para as grandes empresas – ou um sistema de Business Intelligence. Esta  nova forma de utilização do conhecimento humano, através de compartilhamento de informações e soluções através da Internet, permite hoje que uma empresa minúscula e com pouco capital, tenha sua estratégia de TI e suas respectivas soluções de tecnologia da mesma forma que as grandes para apoiar seu negócio, pois,  através da computação em nuvem e de inúmeras soluções baseadas em tecnologia web (principalmente no conceito web 2.0), novas empresas de tecnologias surgiram, fornecendo ao mercado soluções muito boas e com custo baixo. Isto não é mágica nem milagre, mas, trata-se de um grande avanço na descentralização do conhecimento e da capacidade de desenvolvimento de soluções, que até pouco tempo, concentrava-se em grandes “players” de TI, e agora está se consolidando de forma distribuída em toda a parte do planeta. Apenas como exemplo deste novo modelo, cito a Sales Force, que fornece soluções acessíveis a grande parte do mercado de pequenas e médias empresas, mas existem inúmeras soluções que atendem este mercado de maneira eficaz com custo muito atraente.

No outro lado da questão estão as grandes empresas que utilizam soluções tradicionais e possuem suas informações, teoricamente, armazenadas internamente, utilizando soluções dos mesmos grandes “players” de TI que citei anteriormente. Como manter uma estratégia de competitividade com empresas menores, tratar as informações de maneira inteligente e trocar o modelo utilizado por décadas, onde, toda a tecnologia está baseada em uma solução interna e passar a utilizar soluções externas, com custo operacional mais baixo, garantindo que este modelo de TI já estabelecido tenha continuidade através desta solução externa aos seus domínios? Pois é! Este é um desafio a ser superado nos próximos anos. Chegar a um modelo mais competitivo de adoção da tecnologia da informação, sem perdas ou prejuízos por conta de não ter mais um controle rígido – ao menos esta sensação de controle – de suas informações.

Adicionamos a esta bagunça, questões como barreiras comerciais sendo quebradas, a inércia das grandes empresas (que em sua maioria são ultraconservadoras), gente com ideias inovadoras, milhares de startups de TI surgindo pelo mundo afora e outras centenas de milhares de soluções, está pronta a confusão!

Então, a única coisa que nos resta é pensar… Como podemos utilizar de maneira inteligente, eficiente, eficaz e sustentável, este novo modelo que está surgindo e continuarmos a transformar problemas e ideias em soluções!

Um grande abraço!
Antonio Ricardo

Colaboração nas empresas: Está sobrando infraestrutura!

Como um entusiasta e observador da Tecnologia da Informação, percebo que estamos em um período muito interessante para fazer nossas ideias avançarem em relação a soluções de TI, principalmente, em um setor que, aqui no Brasil, sofre pela falta de oferta de boas soluções.  Estou me referindo às comunicações, pois, apesar de cada vez mais a oferta de hardware fazer parte do dia-a-dia corporativo – como smartphones, tablets, ultrabooks e muito mais “brinquedinhos” – a oferta de serviços ainda é muito escassa, ou seja, tem muita gente que está “armado até os dentes” com hardware de última geração, mas com pouco ou quase nenhum conteúdo interessante quando pensamos em soluções de colaboração / comunicação para empresas.

No meu ponto de vista, unir forças dentro dos grandes “players” da tecnologia da informação é fundamental, pois, o que percebo no cotidiano é que muitas empresas – que consomem serviços e produtos de TIC – tem soluções de comunicação e colaboração desconexas, ou seja, muitas vezes, a empresa (cliente) já possui um base instalada com algum tipo de tecnologia ou solução que pode servir de ponto de apoio para a implementação de uma excelente ferramenta de colaboração, porém, por falta de ofertas claras por parte destes grandes “players”, tal empresa/cliente tropeça na implantação de soluções colaborativas – que podem unir desde o compartilhamento simples de arquivos, correio eletrônico até soluções mais robustas envolvendo comunicações unificadas com áudio e vídeo conferência – por não entender que sua infraestrutura atual pode servir de base para implementar ótimas soluções, investindo menos e obtendo resultados muito bons.

Resumindo e sendo bem objetivo: Muitas empresas têm lindos equipamentos em seus datacenters e em seus escritórios, servindo apenas de complemento a sua decoração, pois, estão sendo subutilizados.

Hoje quero deixar uma pergunta simples para você – que paga a conta das ligações telefônicas no final do mês, de todos os escritórios e/ou filiais da empresa – pensar: É necessário ter um aparelho telefônico e um ramal convencional em cada um dos postos de trabalho de seus colaboradores? Pense nisso… E pesquise!

Grande abraço e grandes ideias!!!
Antonio Ricardo Goncalves

Mais força na colaboração: Microsoft compra Yammer!

Está tudo acertado entre as empresas (US$ 1.2 b.)…
Agora a Yammer faz parte da Divisão Microsoft Office, o que, creio eu, trará mais força ainda para a plataforma Microsoft SharePoint e as soluções direcionadas a colaboração corporativa. Vamos acompanhar os próximos passos e identificar as melhorias que serão incorporadas as soluções da Microsoft!

Aqui tem uma matéria da CNET com valores do negócio e mais alguns detalhes: http://news.cnet.com/8301-10805_3-57459986-75/microsoft-acquires-corporate-social-network-yammer-for-$1.2b/

Um grande Abraço!
Antonio Ricardo

CIO USA:Um guia com “quase” tudo sobre SharePoint!

Se você está pensando em adotar o SharePoint como plataforma de colaboração ou mesmo em outras dezenas de possibilidade onde ele se encaixa perfeitamente, como intranets, extranets, sites corporativos e assim por diante, acesse o link a seguir e confira uma série especial publicada na revista americana CIO.

O conteúdo foi muito bem elaborado, contendo desde os fundamentos, passando pelos vários tipos de utilização do produto e também auxiliando na análise de custos das licenças e da manutenção da plataforma.

Eis aqui – conforme o título publicado pela CIO Magazine – a “bíblia do sharepoint”:
http://www.cio.com/article/588465/SharePoint_Bible_Your_Complete_Guide_to_Microsoft_s_Collaboration_Software

Boa leitura e um grande abraço!
Antonio Ricardo Gonçalves