Criando sua própria Rede Social (Corporativa)

     Com a evolução do conceito de redes sociais corporativas – principalmente nos dois últimos anos – vários produtos e serviços vem sendo oferecidos ao mercado com a relação custo x benefício mais atraente, principalmente ao mercado de pequenas e médias empresas.

     Um bom exemplo é a empresa Jive Software (http://www.jivesoftware.com/about), especializada em soluções em colaboração e redes sociais, que atende desde pequenas/médias empresas até grandes corporações, como a Nike, SAP, Intel entre outras. Seus produtos são projetados de forma que possam crescer de acordo a demanda e também integram-se com soluções de redes sociais internas e/ou externas, facilitando a implementação e o gerenciamento de suas soluções.

     Recomendo a visita ao site da empresa http://www.jivesoftware.com , pois, existem muitas informações interessantes a respeito do tema Redes Sociais Corporativas, o que pode auxiliar aos que procuram soluções deste tipo a esclarecerem suas dúvidas.

     Existem vários outros fornecedores deste tipo de solução. Escolhi este, pois, acredito ser um dos mais inovadores, com mais expressão no mercado no segundo semestre de 2009 e possuir clientes de peso no mercado corporativo mundial. Existem algumas análises a respeito da Jive (uma delas executada pelo Gartner) na página a seguir http://www.jivesoftware.com/news/analyst-coverage.

Um abraço,
Antonio Ricardo Gonçalves

Colaboração e a TV Digital no Brasil

     Às vésperas da chegada dos aparelhos que irão permitir a interatividade entre as emissoras de TV Digital e seus respectivos telespectadores podemos perceber mais um segmento com imenso potencial de colaboração ainda totalmente inexplorado.

     Provavelmente esta primeira experiência de interatividade será um pouco frustrante para os telespectadores, pois, pelo que tenho pesquisado a respeito, estas transmissões iniciais com recursos de interatividade serão limitadas a consulta de sinopses de filmes e novelas e alguns outros tipos de informações como classificação de campeonatos de futebol. Todas estas bem reduzidas ao formato atual, ou seja, fornecimento de informações sem interatividade alguma.

     Pensando nas possibilidades e no futuro da TV Digital, percebemos que, ao adotarmos recursos de colaboração, passaremos realmente para uma nova era, onde será possível trocar experiências entre as emissoras e telespectadores e mesmo entre os telespectadores de várias maneiras.

     Podemos exemplificar a venda de um produto qualquer (eletrodoméstico, eletrônico etc.) através de uma TV interativa onde de acordo com o número de interessados o preço fique mais atrativo, ou seja, o Canal de TV de Ofertas anuncia que um aparelho de TV sairá com 40% de desconto, desde que 100 telespectadores fechem a compra. Com recursos de interatividade, seria possível (através de um sistema de computador) que os interessados fossem demonstrando seu interesse no produto e caso fosse atingido este número mínimo de 100 compradores a compra fosse finalizada.

     Existem outros recursos que seriam possíveis neste tipo de interação e colaboração como avisar outros interessados de maneira instantânea (através de recursos de integração com sistemas como MSN Messenger, Twitter, Facebook etc.), consultar a opinião de outros compradores deste mesmo produto (consultando sites como o Reclame Aqui ou mesmo fóruns de discussão).

     Enfim, analisando nosso cenário atual e o que vem por aí, é possível percebermos que – ao contrário do discurso de muitos – as redes sociais e a colaboração estão apenas iniciando suas jornadas. Aproveitando a relação com o assunto TV Digital no Brasil, eu digo que estamos apenas nos primeiros capítulos de muitos que estão por vir.

O IDG Now publicou uma matéria muito interessante a respeito da TV Digital Brasileira e o início das transmissões interativas. Acesse aqui: http://idgnow.uol.com.br/telecom/2009/12/21/tvs-adotam-cautela-as-vesperas-da-estreia-da-interatividade-na-tv-digital/

 

Grande Abraço,
Feliz Natal e
Um Excelente 2010!

Antonio Ricardo Gonçalves

A colaboração aliada à saúde pública: Salvando vidas.

Hoje decidi que a publicação, além de técnica, deveria ter relacionamento com temas de interesse público e político, com o objetivo de compartilhar a visão de que os assuntos do blog (Colaboração e Redes Sociais) realmente são aplicáveis na prática e não são apenas filosofias (Nada contra os filósofos… rs).

Então vamos lá… Falar a respeito de outra função nobre que a colaboração online pode exercer é a de contribuir com informações que possam salvar vidas.

Este objetivo pode ser colocado em prática através de redes que mantenham informações sobre grupos de doadores / receptores de órgãos, pessoas com problemas crônicos de saúde e que precisem de tratamento e/ou medicamentos periódicos. Um grupo de excelentes patrocinadores para um projeto desta natureza seriam os órgãos governamentais, sejam eles em âmbito regional ou nacional.

Um exemplo que pode ser aplicado em nosso dia-a-dia em todas as regiões do país é a questão da distribuição de medicamentos (Péssima, não é?!). Todos sabemos que muitos medicamentos nunca são entregues aos pacientes, devido a muitos fatores relacionados à má gestão de sistema de distribuição, e se o governo federal, por exemplo, tomasse uma atitude simples de implementar um sistema de controle de seus estoques de medicamentos, aliado a outros sistemas regionais (prefeituras, estados, secretarias de saúde, hospitais) que armazenassem informações sobre pacientes com doenças crônicas e quais os tipos de medicamentos este pacientes necessitam, haveria uma distribuição e um controle logístico desta distribuição de maneira eficaz e ECONÔMICA. Muitos medicamentos que atualmente ficam estocados de maneira adequada, no local errado (região, cidade, hospital) e terminam com o prazo de validade expirado, poderiam ser entregues diretamente na casa de um cidadão com algum problema crônico, através dos Correios por exemplo.

Outro recurso muitíssimo interessante para o exemplo acima, seria criar um fluxo onde todos os envolvidos (fornecedor do medicamento, médico e paciente) tenham contato direto e possa haver um acompanhamento por qualquer um dos envolvidos, ou seja, o paciente poderia cobrar o fornecedor em caso de atraso, o médico ficaria mais próximo ao paciente (mantendo o seu histórico / prontuário) e assim por diante. Desta maneira o processo seria muito transparente e as possíveis falhas poderiam ser detectadas mais facilmente.

É óbvio que para algo assim acontecer, barreiras políticas, administrativas, técnicas e culturais precisam ser ultrapassadas além de muito planejamento / ações, porém, a idéia é que compartilhando as ações, informações e as responsabilidades, por exemplo, é possível diminuir o custo operacional de um sistema – de saúde – que é vital para a população e que desperdiça milhares de reais por ano, por conta da falta de iniciativas, interesses políticos e má gestão entre outros que todos nós conhecemos.

Mudar para melhor é sempre possível e interessante. Mas é preciso ao menos de iniciativa, planejamento e esforço. Algo que parece em escassez em nosso poder público.

Um grande abraço e
(Aproveitando o clima)
Um ótimo NATAL a todos!
Antonio Ricardo Gonçalves

Colaboração: Um recurso para grandes ou pequenos

     Um dos fatores que contribuem – negativamente – para que o conceito de Colaboração não avance nas empresas de pequeno e médio porte é que muitas destas empresas acreditam não ter acesso a este tipo de tecnologia por conta de altos custos ou necessidade de uma infraestrutura muito elaborada.

     Felizmente este é apenas mais um mito, pois, é possível que qualquer empresa tenha uma solução de colaboração ao seu alcance, muitas vezes, gratuitamente. Basta ter acesso a internet e tudo está resolvido, pois, existem inúmeras empresas oferecendo serviços voltados à colaboração com inúmeros recursos para melhorar a produtivade de sua empresa,com baixo custo e em alguns casos com custo ZERO.

      Como exemplo, vou citar um site chamado AgreeADate (http://www.agreeadate.com), onde é possível através de uma interface muito simples e em alguns minutos, criar e controlar uma reunião presencial ou uma teleconferência, entre outros eventos. Através do site é possível enviar convites, controlar as confirmações, enviar questões referentes ao evento, divulgar pesquisas relacionadas à pauta, entre outras opções. Trata-se de uma ferramenta muito elaborada e simples de usar e que irá transforma qualquer evento num encontro muito bem organizado desde o seu início.

      Então… Mãos à obra! Comece a sua jornada nas ferramentas de colaboração. Tenho certeza que seu trabalho tornar-se-á muito mais produtivo e organizado e, para auxiliar a busca pelas ferramentas, acesse o link a seguir, pois, lá você irá encontrar várias categorias de softwares de colaboração. http://www.mindmeister.com/12213323

Grande abraço e
Um ótimo 2010 à todos!
Antonio Ricardo Gonçalves

Colaboradores são sempre muito bem vindos!

Se você também tem interesse no assuntos Colaboração e Redes Sociais e queira publicar neste blog, por favor, contate-nos. Novos membros sempre serão bem vindos neste espaço.

Para contatar-nos, envie um e-mail para argoncalves@globo.com informando seus dados pessoais básicos e, se tiver um perfil em alguma rede social como LinkedIn, Orkut. Facebook, Twitter etc, também envie o link para que possamos conhecer você e seu trabalho!

Muito Obrigado,
Antonio Ricardo Gonçalves

Redes sociais corporativas e geração de idéias com alta qualidade

Existem vários estudos realizados nos Estados Unidos nos últimos anos com foco na relação redes socias corporativas X geração de idéias. De acordo com um destes estudos realizados pelo professor Ronald Burt, da Universidade de Chicago, foi concluído que através do trabalho em colaboração em redes sociais os resultados foram muito interessantes em ralação principalmente à INOVAÇÃO. A pluraridade de idéias, experiências e culturas contribuiu para a discussão e a melhores resultados, se compararmos com as mesmas atividades sendo realizadas sem o auxílio das redes sociais.

Para saber mais sobre o professor Ronald Burt, da Universidade de Chicago, basta buscar no Google, pois, ele possui muitos artigos e outras publicações a respeito do assunto.

Como referência e leitura complementar deste post, acesse o link a seguir (em inglês):
http://bhc3.wordpress.com/2009/04/29/what-enterprise-social-networks-do-well-produce-higher-quality-ideas/

Um grande abraço,
Antonio Ricardo Gonçalves

Twitter lança recurso voltado para mercado corporativo

O Computerworld publicou uma matéria muito interessante sobre a utilização de redes sociais como estratégia corporativa, utilizando o recurso Contributor do Twitter. Como esperado, 2010 deve movimentar bastante os recursos das redes sociais direcionados para empresas. Na minha opinião estas são apenas as ações inicias, ou a ponta do iceberg, na corrida para transformar as redes sociais já existentes em ferramentas importantes para o mundo corporativo. Vale à pena acompanhar os próximos capítulos e ver quem será destaque no próximo ano. 

Para ler a matéria acesse o link abaixo:
http://computerworld.uol.com.br/negocios/2009/12/15/twitter-mira-no-mercado-corporativo-e-lanca-recurso/

Abraços!
Cultive o bom humor, sempre!

Antonio Ricardo Gonçalves